Brinquedos educativos: um segmento com futuro

Não basta sentir vontade de empreender, é necessário entrar em ação para que esse sonho não vá para baixo do tapete, assim como muitos outros que você deve ter deixado de lado. Os empreendedores — principalmente os novos — precisam entender que o conhecimento e o foco são essenciais na hora de começar essa caminhada que, aliás, é bem longa.

O empreendedor é capaz de atender às necessidades do mercado e se adequar a elas. Ele sempre está aberto a aprender e, principalmente, inovar.

Por isso, no post de hoje, vamos abordar um segmento específico e que não é muito abordado quando o assunto é começar um novo negócio: brinquedos educativos. Pode parecer bobo, mas se juntar a criatividade com a vontade de empreender, temos certeza que terá excelentes resultados e, o mais importante, excelentes clientes.

Abaixo, você pode conferir algumas dicas para se dar bem:

  1. Uma das primeiras coisas a se fazer, é criar um plano de negócio, onde serão organizadas todas as informações sobre a empresa. Assim, seus objetivos, metas e planejamentos ficam mais claros. Mas lembre-se, esse é um documento com itens que precisam ser levados a sério, e jamais deve ser esquecido dentro da gaveta. Através dele você entenderá quais são suas ameaças, oportunidades, investimento necessário e muito mais.
  2. Por falar em concorrência, é ideal que você pesquise qual é seu público. No caso de brinquedos educativos, seu alvo não serão as crianças, mas sim os pais que irão ver o brinquedo e irão optar por comprá-lo para os filhos ou não. Então, de nada adianta você produzir algo completamente chamativo, mas sem utilidade nenhuma, não é mesmo?
  3. E, aproveitando a citação sobre ser visto, aqui vai uma dica de ouro — que na verdade é básica para qualquer negócio —: esforce-se com seu marketing. Você precisará fazer boas fotos, vídeos interessantes e quem sabe até mesmo os bastidores dessa produção.

Agora, vamos cortar um pouco o fluxo apenas para colocar na mesa um problema que pode fazer muitos desistirem: a necessidade de um local. Mas calma, não é o fim do mundo! Para isso, existem ótimas soluções, acompanhe o restante dos tópicos:

  1. O E-commerce pode ser um item primordial nesse negócio, caso prefira expandir seus horizontes para além de seu bairro ou cidade. É claro que, mesmo que suas vendas aconteçam pela internet, você precisará de um local para o estoque de produtos. Por isso, comece com uma produção baixa, para depois aumentá-la.
  2. Falando em produção… a mão-de-obra qualificada pode fazer a diferença! Caso você vá trabalhar sozinho, talvez a tecnologia poderá te auxiliar nesse momento. Aproveite que não foi necessário o investimento em um local — por enquanto —, e coloque suas forças em outras coisas, como por exemplo, algum equipamento que poderá fazer os trabalhos por você, fazendo com que assim seja possível focar em outras coisas enquanto uma máquina trabalha por você.

As mais conhecidas são as máquinas a laser, responsáveis por realizar gravações e cortes, porém, nem sempre elas conseguem atingir uma grande profundidade. Neste momento, pode ser necessário um investimento um pouco maior nos equipamentos chamados Router CNC, que são comandos numéricos computadorizados, responsáveis por enviar o plano de corte para a máquina, podendo realizar inúmeros cortes de peças de uma vez só.

Mas nada do que falamos é uma regra, ok? São apenas dicas que podem ajudar a quem não sabe por onde começar! Tenha em mente que, como falamos anteriormente, é necessário foco e vontade de fazer diferente, pois com o famoso “brilho nos olhos”, sua empresa pode se destacar muito. A criatividade move montanhas!

Confira: Revender roupas em casa é um bom negócio? Siga as dicas!

Comentários estão fechados.